Veja como a Helpper se tornou uma Scale Up

23 de fev de 2022

I

Veja como a Helpper se tornou uma Scale Up

Desde 2017, a Helpper cresce em média 69% ao ano, o segredo são técnicas de startups para acelerar o crescimento

Em um mundo que se transforma de maneira tão acelerada, como uma empresa tradicional pode se manter relevante no mercado? A cultura de startups tem sido bastante vista por líderes pelo simples motivo de ser um modelo de negócio que tem dado certo.

Elas já nascem enxutas, escaláveis e inovadoras, além de estarem em um ambiente onde o “mundo VUCA” é regra, o acrônimo significa volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade. Nesse cenário, não existe espaço para estruturas rígidas e concretas.

Ter uma cultura ágil e voltada para pessoas (conheça o Why Helpper), foi essencial para o nosso sucesso durante todos esses anos no mercado, já que empresas tradicionais podem encontrar maior resistência para se adaptar a novos paradigmas.

“A Helpper sempre inovou, nascemos focados em sistema web, quando o mundo era desktop. Temos profissionais certificados em Scrum desde 2008, pouco depois já estávamos desenvolvendo apps para iphone, usamos microsserviços antes de ser popular no Brasil, fomos para projetos de inteligência artificial e ciência de dados e, com a pandemia, partimos para automação de back-office. Isso nos deu muita vantagem durante todos esses anos!” Henrique de Castro, CEO.

Startup x Scale-up x Empresa tradicional

Scale-up são empresas que crescem ao menos 20% por ano, por pelo menos três anos consecutivos, elas representam apenas 1% das empresas brasileiras e são responsáveis por quase 60% dos novos empregos gerais no país, segundo um estudo da Endeavor.

Elas são escalonáveis, ou seja, evoluem por etapas, tudo é planejado e tem um objetivo claro. A lógica é a seguinte: nem toda scale-up foi uma startup, pois empresas tradicionais podem começar a inovar e se tornar uma scale-up.

A Helpper foi uma empresa tradicional que se tornou uma scale-up com crescimento de 69% ao ano, desde 2017. Durante esse tempo, expandimos os setores de marketing, vendas e RH, além de aumentar a carteira de clientes, o faturamento e o número de funcionários.

É tudo sobre pessoas!

A transformação precisa ter foco nas pessoas, afinal, são produtos digitais feitos por pessoas para pessoas. Isso quer dizer que, tudo gira em torno da interação com cliente, com testes para validar hipóteses e melhorias ao longo do processo.

Assim, é possível adotar estratégias capazes de identificar desperdícios, de qualquer natureza, ter mais agilidade, maior qualidade nas entregas e atender as necessidades do mercado mais rapidamente. A regra é: testar, identificar melhorias, corrigir, melhorar e testar de novo.

Startups fazem isso com êxito, com o conceito de MVP. Para colocar uma solução em prática, quebra-se o problema em pequenas partes, dissolvendo a sua complexidade e testando diretamente com o usuário, leia mais sobre aqui.

Inovação com pragmatismo?

Inovar não é se desvincular de valores e de conceitos clássicos, mas sim aplicá-los de maneira que faça sentido para os novos tempos, apenas abrir mão daquilo que realmente não se encaixe mais.

Por isso, um ponto fundamental para o nosso sucesso, foi sermos fiéis a conceitos clássicos da tecnologia como pragmatismo, Clean Architecture, TDD e outros, enquanto implementamos processos inovadores como Metodologias Ágeis, OKRs e Lean.

Dessa forma, começamos a organizar nossos times como Squads, pequenos grupos multidisciplinares que trabalham por um objetivo único e específico, são times que estão mais próximos do cliente, tem maior autonomia e tem visão sistêmica dos produtos e processos.

Isso estimula a troca de ideias, gera discussões mais completas e amplas sobre o produto que está sendo desenvolvido e faz o trabalho mais cooperativo. Imersos em uma cultura ágil e pragmática, como na Helpper, as pessoas têm maior espaço para inovar.

A mudança é regra

Para empresas de tecnologia, mudança deve ser parte da rotina! Afinal, é uma área em constante evolução e aparecem novidades o tempo todo. Para lidar com um mundo que está cada vez mais complexo, é preciso ser ágil e usar os recursos disponíveis o melhor possível.

Essas características permitiram que a Helpper não sofresse muitos danos durante a pandemia do novo Coronavírus, em 2020. Como já tínhamos experiência com pessoas em home office, fizemos adaptações necessárias e expandimos esse modelo. Veja:

  • Contratação de pessoas de fora da cidade-sede;

  • Implementação de horários flexíveis;

  • Aumento de benefícios (auxílio home office e equipamento);

  • Ferramentas de otimização do fluxo de trabalho e rh (feedz, jira, pipefy e outros).

Isso nos possibilitou implementar o modelo de trabalho chamado anywhere office, em que as pessoas podem trabalhar de qualquer lugar com acesso à internet. O que permite maior qualidade de vida e, consequentemente, pessoas mais felizes que trabalham com propósito.

Acreditar nos sonhos dos nossos clientes e entregar sucesso

“Na MZ, nosso propósito é empoderar a estratégia de relações com investidores de nossos clientes! Sonhar grande e executar grande. Fizemos a parceria com a Helpper porque acredito que o mundo é movido pelos resilientes, pelos cascas grossas que aguentam o tranco e seguem o caminho daquilo que acreditam, com o desafio de tentar fazer o melhor a cada dia” PH Zabisky, CEO da MZ.

Trabalhamos com os nossos clientes, para promover disrupção e inovação, a fim de alcançar um objetivo mútuo. Usamos o poder da tecnologia para entregar produtos que realmente mudem as coisas, sem medo de ir além.

E o nosso crescimento é a prova que o jeito que estamos operando dá certo e traz grandes resultados! Você tem algum projeto que possa nos desafiar? Traz pra gente!

Gestão e tecnologia, Ágil
O AUTOR
Time de Marketing

O marketing da Helpper é apaixonado por tecnologia e inovação! Tem como responsabilidade trazer as informações e conteúdos mais relevantes do mercado para os leitores!